quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Novela Araguaia: Elenco, Personagens

A novela Araguaia, do premiado autor Walter Negrão, deverá substituir Escrito nas Estrelas na Rede Globo, a trama em estreia prevista para Setembro de 2010. Da mesma forma que Escrito nas Estrelas, o novo folhetim também se passará nos dias atuais. No elenco da novela Araguaia, atores como Murilo Rosa, Milena Toscano, Thiago Fragoso e Cléo Pires estão confirmados. Vale lembrar que tempo atrás cogitou-se que a trama chamaria Girassol.Novela Araguaia: Elenco, personagens e história.
Em Araguaia, será contada a história de uma pequena cidade construída à beira do Rio Araguaia (origem do nome da novela), e a luta de um jovem rapaz chamado Solano, um gaúcho, domador de cavalos, um herói romântico que vive de fazenda em fazenda, mas que retorna à região do Araguaia após a morte de sua avó. Segundo a lenda contada, essa cidade era uma aldeia indígena antiga, por isso muitas coisas devem acontecer envolvendo os novos moradores desse lugar. Sendo assim, além de enfrentar forças ocultas tentando vencer uma maldição lançada por um xamã, o mocinho de Araguaia fará de tudo para conquistar um amor impossível e lutar pela justiça social.Já a mocinha da novela Araguaia, Manuela, vivida pela atriz Milena Toscano, será uma menina de personalidade forte, determinada, com grande senso familiar e um temperamento quente, que farão dessa personagem uma mocinha bem diferentes das demais feita nos moldes antigos.Apesar de ainda não ter nada confirmado, algumas cidades já foram cotadas para receberem o elenco de Araguaia, são elas: Santa Terezinha, São Felix do Araguaia ou Luciara. O diretor geral cotado para a trama, Marcos Paulo, deverá definir o local exato das gravações juntamente com a sua equipe, que conta com dois grandes roteiristas da emissora, Jackie Vellego e Renato Modesto.De acordo com Walter Negrão, a nova novela, mostrará um Araguaia rico, totalmente diferente, que mistura modernidade e tradição, além de mostrar o turismo e o ruralismo da região.

Peixes do Araguaia

As espécies foram selecionadas, de acordo com sua finalidade (a pesca esportiva), pela ordem alfabética, de seus nomes vulgares, seguidos por seus respectivos nomes científicos. Procurando fornecer algumas informações sobre seus hábitos alimentares, locais de ocorrência e materiais de pescas utilizados para as capturas. Informações que ajudarão de alguma forma o pescador iniciante nesta região. Desprezamos espécies que não têm muita importância para pesca esportiva como: arraias, piranhas, mandis, lambari, sardinha e outras.
ARUANÃ
Osteoglassum bicirbosum
Fam: Osteoglassidae
Habita águas lentidas, mas pode ser encontrado também nos rios principalmente quando as águas baixam, e próximo à saída dos lagos. É aparentado e muito parecido com o pirarucu (Arapaiga ginga), principalmente pelo tamanho de suas escamas. Gosta de andar em pequenos cardumes, alimenta-se de pequenos peixes, e insetos, podendo dar saltos, de mais de metro para pegar suas presas. Alcança pouco mais de 1m de comprimento, pesando no máximo três a quatro Kg. É ovovípero, guardando seus ovos na boca, e também os alevinos depois da eclosão dos ovos. É uma espécie esportiva, que briga bastante. Pode ser pescado com iscas vivas, como pequenos peixes, pedaços de peixe e com iscas artificiais, principalmente as de superfície, ou na modalidade de Fly. O pescador deve sempre praticar o pesque e solte com esta espécie, devido sua carne não ser de boa qualidade.
Material:

Molinetes ou carretilhas leves com linhas de 15 a 25 libras, anzóis 1/0 a 2/0. Iscas artificiais tipo meia água ou de superfície, conjunto de Fly nº 3 a nº 5.
BARBADO

Pinirampus pirinampu
Fam: Pimelodidae
Peixe de couro, da família dos bagres, de cor cinza/alumínio, com grandes barbilhões na boca, classificado também por alguns biólogos como: Ancistrus stigmaticus-Loricariidae - podendo alcançar cerca de 60 cm de tamanho e 5 Kg de peso. Habita geralmente as corredeiras, e é pescado na modalidade de rodada, sem a chumbada para não agarrar no fundo. As iscas podem ser de pequenos peixes, minhocuçu.
Material:

Molinetes ou carretilhas de porte médio, linhas de 17 a 25 libras, anzóis 2/0 a 5/0 peixe, coração ou tripa de galinha. A espécie não é muito seletiva quanto à isca, mas é muito briguenta apesar do tamanho.
BARGADA

Goslinea platynema
Fam:Pimelodidae
Peixe de couro também família dos bagres, chamada de surubim chicote por alguns pescadores, devido ao fato de possuir o corpo alongado, filiforme, e cabeça achatada. Habita principalmente as praias rasas, de areia grossa no fundo, possui esporões que podem causar ferimentos sérios. Existem espécies grandes, que rompem linhas de até 40 libras na primeira arrancada, se o material não estiver bem calibrado. É pescado da praia, deixando a vara fincada na areia em um espera vara, enquanto aguarda sua fisgada. Pode ser pescado também embarcado, colocando a embarcação apoitada próximo à praia, lançando a linha em direção à rasura. Suas iscas prediletas são pequenos peixes, como sardinhas, piaus, mandis, lambaris e minhocuçu. Hoje é a maior espécie de peixe, que se pode trazer de acordo com a legislação em vigor.
Material:

Molinetes ou carretilhas de médio a grande porte, linhas de 30 a 60 libras, anzóis 5/0 a 8/0, chumbadas grandes para se ter um bom arremesso da praia.
BICUDA

Boulengerella cuvieri-Subbfamília hydrcyaninae
Fam: Characidae
Possui uma forma cilíndrica, alongada, com a boca parecida com um bico, de cor prateada escura, pode atingir até 1m de comprimento. Peixe voraz, ataca a isca com uma velocidade incrível, sendo muito apreciada na pesca esportiva. Sua carne não é boa, portanto, o pescador deve praticar o pesque e solte. Pega bem em pequenos peixes, e iscas artificiais de superfície, de meia água, colheres e com material Fly.
Material:

Molinetes ou carretilhas de pequeno porte, linhas de 15 a 17 libras, anzóis 1/0 ou menor, e material de Fly nº 3 a nº 4.
CACHORRA

Hodrolicus scomberoides
Fam: Characidae
Outro predador do Araguaia, possui o corpo na forma de um grande lambari alongado, cor prateada, posui dois grandes dentes na frente que se encaixam quando o peixe fecha a boca. Habita as corredeiras e saídas dos lagos, andando sempre em pequenos cardumes, prontos para atacar suas presas. Pode alcançar até 4 Kg de peso e cerca de 1m de comprimento. Sua alimentação é pequenos peixes. Pode ser pescada, com pequenos peixes, pedaços de peixe, também com colheres, e iscas de meia água.
Material:

Molinetes e carretilhas de pequeno e médio porte, linhas de 20 libras a 30 libras, anzóis 1/0 a 2/0.
CARANHA

Colossoma mitrei
Fam: Characidae
Um dos mais procurados exemplares do Rio Araguaia, costuma andar em cardumes próximos à superfície com as barbatanas de fora. Habita os remansos, e início das corredeiras, e próximo aos barrancos ou em meio a traqueiras. Apresenta o formato meio ovalado, com escamas prateadas escuras e a parte inferior do corpo meio avermelhada, muitas vezes confundida quando de pequeno porte com a piranha queixo de burro, devido à coloração. Peixe bom de briga, sua força é muito grande, principalmente se estiver numa corredeira; atinge 60cm, e até 15Kg. É uma espécie onívora e carnívora, depende do que está disponível na estação do ano. Para sua pesca é recomendado, anzol forte, com encastor de aço, pois possui mandíbulas bastante fortes, podendo quebrar a fruta do jatobá, o coco do tucum com facilidade. Usamos como iscas, pedaços de peixe azedo (piau, papa terra), algumas frutas da estação, minhocuçu e até massas. Pode ser pescada, na batida, de rodada, ou apoitado nos poços no final das corredeiras.
Material:

Molinetes ou carretilhas de médio a grande porte, linhas 30 a 50 libras, anzóis 6/0 a 8/0, com encastor de aço, chumbadas médias, deve se usar o girador.
CORVINA

Plagiosaion ternetizi
Fam: Sciaenidae
Alguns biólogos a classificam também como, Pachyurus franscisci - Espécie marinha que se adaptou na água doce; tem escamas prateadas, com linhas oblíquas meio azuladas, pode atingir 70cm, e 6Kg de peso, habita tanto em lagos, como nos rios. No rio anda em cardumes, próximo às corredeiras e em locais com pedras. Peixe carnívoro, pode ser pescado, com pedaços de filé no fundo ou trabalhar corricando bem devagar. A noite costuma ficar roncando debaixo dos barcos. Carne branca e boa para o consumo, mas se deteriora facilmente, possui duas pedras na cabeça, que são usadas para adornos. Os pescadores acreditam que traz sorte colocar estas pedras, junto à caixa de pesca.
Material:

Molinetes ou carretilhas leves, linhas de 15 libras, anzol 1/0, chumbada leve.
DOURADA OU APAPÁ

Brachyplatystoma flavicans
Fam: Pimelodidae
Espécie que lembra o dourado, das águas do São Francisco e Bacia do Prata, apresentando o corpo alongado como uma sardinha grande, com escamas pequenas, com a coloração dourada, possui a boca pequena, dificultando a fisgada, se alimenta de pequenos peixes, é essencialmente carnívora, habita as corredeiras, saídas de lagos, locais em que ataca com uma velocidade incrível suas presas. Atinge 60cm e 3 Kg de peso. Pode ser pescada com iscas naturais, com pequenos peixes e com iscas artificiais de meia água e colheres pequenas. Não possui a carne de qualidade, tem muitos espinhos, e o pescador esportivo deve sempre devolver esta bela espécie à água, quando puder.
Material:

Molinetes e carretilhas leves com linhas de 15 a 17 libras, material de Fly nº 3 a nº 4.
MATRINCHÃ

Beycon melanopterus
Fam: Characidae
Considerada a rainha prateada da água doce, um dos peixes mais procurados pelos pescadores, pela sua esportividade e beleza. Dá vários saltos quando fisgada, mede cerca de 40cm, pesando até 5 Kg. Anda em cardumes enorme, subindo o rio, a partir de Abril. Sua carne de cor rosa, é de excelente sabor, podendoser utilizada, para se fazer o famoso xaximim da culinária japonesa. Na região do Araguaia é preparada moqueada com escama e servida com molho a parte. Alimenta-se de pequenos peixes e de algumas frutas da estação. Pode ser pescado, de rodada ou parado junto aos barrancos. Pega muito bem, com iscas de peixe, minhocuçú, coração de galinha e com iscas artificiais de meia água, colheres e spinners trocando-se neste caso a garateia por um anzol.
Material:

Leve, linhas de 15 a 20 libras, anzóis 1/0 Obs: Em alguns rios de água clara pode ser pescada com Fly, nº 3 a nº 5.
PINTADO

Pseudoplatystoma coruscans
Fam: Pimelodidae
Apresenta cor clara com pintas e rajados de preto pelo corpo. Habita geralmente, nos lagos, nas abocas de lago, remansos e praias. Atinge cerca de 60cm a 1m de comprimento e até 15 Kg de peso em nossa região, se alimenta de pequenos peixes, batendo o rabo nas presas antes de come-las. Pode ser pescado com iscas de peixe ou minhocuçu. Sua carne é muito saborosa, pode ser comido frito ou de molho.
Material:

Molinetes ou carretilhas de porte médio, linhas 25 a 40 libras, anzóis, 2/0 a 6/0.
PIAU

Leporinus friderci, Leporinus bimaculatus
Fam: Anostmidade
Existem várias espécies deste peixe na bacia do Araguaia, como: piau canivete, piau três pintas, piau flamengo, piau cabeça gorda. Destas espécies destacamos o piau cabeça gorda que atinge cerca de 40cm e 3 Kg de peso. Forma grandes cardumes, se alimentando de pequenos insetos, frutas, vermes, etc. Pode ser pescado com minhoquinha, milho, mandioca dependendo da ceva. É pescado tanto em lagos, como nas cevas ou no rio nos cardumes.
Material:

Leve, varinhas caipiras, linha 15 libras, anzóis pequenos.
PIRARARA

Phactocephalus hemiliypterus
Fam: Pimolidae
Bagrão, cabeçudo, possui 1/3 do tamanho do corpo, seu nome significa peixe arara, devido a sua cor avermelhada e amarelada, apresenta duas manchas de amarelo, e abaixo da linha lateral uma lista negra, a barriga branca e parte de suas nadadeiras de cor vermelha. É considerado o trator do rio, pois sua força é descomunal, arrasta a isca para o fundo e para debaixo dos troncos. Pesa em média 30 Kg a 80Kg e cerca de 60cm a 1,30m de comprimento. Habita geralmente, nas saídas dos lagos e nos locais onde existe muita tranqueira. Alimenta-se de peixes menores e até de pequenos animais, existem muitas lendas sobre esta espécie, que arrasta pessoas para o fundo do rio, principalmente crianças que estão nadando em poços profundos, sua isca predileta, são as piranhas iscadas inteiras.
Material:

Pesado. Linhas de 70 a 90 libras, anzóis 8/0 a 10/0.
PIRAÍBA

Brachyplatystoma filamentosum
Fam: Pimelodidae
Considerado o maior bagre de nossos rios, dependendo do tamanho é chamado de Filhote (até 1,5m), depois de Piraíba, (até 2m), de Piratinga (depois de 2m). Pode medir, quando adulta, mais de 3m de comprimento e pesa mais de 150Kg. Na região do rio Amazonas, acredita-se que possa atacar canoas pequenas e engolir pessoas. Habita o canal principal do rio e nos grandes remansos. Dá grandes saltos, nos quais, põe o corpo todo fora da água, apesar de seu grande tamanho. Quando fisgado o pescador deve soltar o barco, para tentar brigar com a fera. Devido à pesca predatória, é espécie protegida por lei, sendo, sua pesca proibida no Estado de Goiás.
PIRARUCU

Arapaiga giga
Fam: Arapamidae
Conhecido também como Pirarucu é considerado como a maior espécie de escama do Brasil, chegando a atingir mais de 3m de comprimento e até 150 Kg de peso. Vive nos lagos e igarapés. Seu nome deriva de "pira", peixe e "urucum", vermelho. Precisa subir à tona para respirar, se alimentando de pequenos peixes como trairás, piranhas. Sua carne é muito apreciada, pelos ribeirinhos que a salgam, é também chamado de bacalhau brasileiro. Por estar em processo de extinção, sua pesca está proibida na região do Araguaia.
TUCUNARÉ

Cichla ocellaris
Fam: Cichlidae
Considerada a espécie mais esportiva do Brasil, de cor amarelada, ou azulado, com faixas escuras pelo corpo e um ocelo na calda. Na região do Araguaia, destacamos três espécies principais: o tucunaré azul, o pitanga e o amarelo. Pode atingir até 80cm de comprimento e, de 4Kg a 6Kg de peso. Peixe carnívoro, se alimenta de peixes menores. O casal de tucunarés protege sua prole, durante vários meses. Habita geralmente os lagos, e alguns afluentes do Araguaia. Sua pesca, pode ser realizada com iscas de pequenos peixes, mas a maneira mais esportiva é utilizar, iscas artificiais, de vários tipos: de superfície, de meia água, ou colheres. Pode ser pescado também com Fly, com vários tipos de iscas.
Material:

Molinetes e carretilhas de pequeno ou médio porte, linhas de 17 a 20 libras. Material para Fly, nº 4 a nº 6.

A POUSADA CANOEIROS

Para quem acredita que conforto e natureza combinam o Hotel de Lazer Canoeiros oferece aos seus hospedes ótimos serviços e a melhor infra-estrutura hoteleira do Rio Araguaia.

Situado a 50m do Rio Araguaia, possuem completa estrutura de apoio às expedições pesqueiras e ecológicas da região. Oferecem 34 excelentes apartamentos com ar condicionado, TV em cores , frigobar , armários e telefones.

Sua estrutura de lazer conta com: piscinas adulto e infantil, sauna a vapor, bar, restaurante e churrasqueira. Possui ainda um rancho para cantorias e quadra poli- esportiva iluminada.

http://www.pousadacanoeiros.com.br

Barco Hotel

Barco Hotel Pescador I foi construído em 1999, a partir de arrojado projeto naval que alia o máximo de conforto com total segurança. Reformado no início de 2005 o barco tem capacidade para acomodar 16 pessoas em seis confortáveis camarotes duplos e um quádruplo, todos com ar condicionado e banheiro privativo com banho quente. Um bom restaurante, sala de estar confortável, sala de TV com DVD, som e CD e um deck espaçoso completam a infra-estrutura básica do barco. Para que você não fique totalmente isolado do mundo, o barco é dotado de rádio comunicador e antena celular. O isolamento acústico do barco reduz a zero o barulho dos motores. Filtros de água e tratamento de esgoto permitem uma perfeita higiene dos equipamentos e instalações. Para tornar sua pescaria mais confortável, o Barco Hotel Pescador I é equipado com oito barcos com motor de popa. Os guias especializados que acompanham cuidam de tudo: indicação de iscas certas para cada tipo de peixe e dos melhores pesqueiros; organização do isopor com a bebida de sua preferência; informações sobre o tamanho mínimo permitido e da quantidade que deverá ser embarcada; até da limpeza e acondicionamento de seus peixes.



Roteiro inesquecível

O Barco Hotel Pescador I fica ancorado no povoado de Luiz Alves do Araguaia, a 48 km de São Miguel do Araguaia por estrada de chão bem conservada, em frente ao Hotel Pousada Pescador.

As pescarias são realizadas nos rios Araguaia, Javaés, Cristalino, das Mortes e infinidade de lagos numa das regiões mais preservadas do mundo. Dependendo da época do ano, quando o rio está cheio, pode-se pescar também no rio Crichás.

O esquema de pesca é simples: diariamente, o barco fica ancorado em determinado ponto do rio Araguaia, enquanto os barcos auxiliares – geralmente para dois ou três turistas, mais o piloteiro – deslocam-se para os pesqueiros.

Para sua segurança o Barco Hotel está equipado com sonar, além de todos os itens de segurança exigidos por um minucioso projeto naval e pela Capitania dos Portos. Uma praça de máquinas com isolamento acústico abriga 2 motores MWM 6cc-turbo, 2 grupos geradores MWM 3cc de 30 KVA, filtro de água e estação de tratamento de esgoto.


O PACOTE INCLUI:

• Hospedagem

• Alimentação completa – café, almoço e jantar;

• Barco, motor e piloteiro, por dupla;

• Combustível – 20 L de gasolina por barco por dia;

• Cerveja – 12 latas por pessoa por dia;

• Whisky importado, vodka, rum e campari – 3 L de cada;

• Refrigerantes e água mineral;

• Tira-gosto a bordo, produzido na cozinha;

• Iscas e gelo;

NÃO INCLUI:

• Transporte ida e volta ao Barco Hotel, Hospedagem e alimentação de motoristas.

•Licença de pesca, Material de pesca (vara molinete,linha,anzol e etc).

Praias e Acampamentos do Rio Araguaia

Quando o nível das águas do rio Araguaia está mais baixo – entre maio e setembro – ao longo de suas margens formam-se praias belíssimas de areias brancas, que são um convite para milhares de pessoas que buscam sol, tranqüilidade e belas paisagens.
No mês de julho, milhares de acampamentos de turistas surgem nas praias, onde é certa uma diversão sadia e descontraída.


Para que não haja abusos, existem algumas normas que devem ser seguidas com todo o rigor, na hora de montar o acampamento:

• É proibido usar recursos vegetais da região na montagem do acampamento. Recomenda-se utilizar estruturas metálicas, bambu e madeira beneficiada.

• No final da temporada, todo o material do acampamento deve ser retirado, deixando a praia limpa.

• O lixo deve ser separado: o orgânico deve ser enterrado no barrando, longe da margem do rio; e o lixo reciclável – plásticos, papéis, latas, vidros etc. – deve ser levado de volta ou depositado em locais próprios.

• Os sanitários devem ser construídos com material degradável no escoramento da fossa – balaios, caixotes, trançados de palha, tábuas, bambus etc. É proibido o uso de tambores.

• Nas praias e margens do rio é proibido o uso de cimentados.

• Para reduzir a poluição sonora, é preciso instalar abafadores nos motores geradores.

• É proibido o uso de material predatório na pesca – rede, tarrafa, espinhel, bóia etc. Utilize somente linha de mão, caniço, molinete ou carretilha.

Fauna e flora do Rio Araguaia

A fauna do rio Araguaia é riquíssima. A diversidade das espécies de peixes é surpreendente: existem peixes imensos como a piraíba, pirarara, pintado, boto e pirarucu; peixes menores como tucunaré, apapá ou dourada, curvina e matrinchãs; e uma infinidade de outros peixes que são utilizados como isca como a branquinha, sardinha, entre outros.
Os animais silvestres – tartarugas, jacarés, capivaras, suçuaranas, macacos, emas, veados, lobos - além de magníficas aves – jaburus, garças, martins pescadores, gaviões – são um espetáculo à parte.

A flora é formada por três biomas distintos: nas regiões mais elevadas e afastadas do rio, predomina a vegetação do cerrado, com formações de pastagens, vegetação arbustiva e árvores baixas com galhos retorcidos; as regiões baixas e úmidas, próximas ao rio, são formadas pela floresta tropical, com árvores altas e vegetais densos e fechados; ao longo das margens e afluentes do Araguaia, observa-se um dos maiores pantanais do Brasil, caracterizado por formação de plantas aquáticas.



O Volume e extensão de Água do Rio Araguaia

Pelo volume das águas e pela grande extensão o rio Araguaia mais
parece um oceano de águas barrentas. A palavra Araguaia é originada
da língua indígena Macro-Jê e significa “Arara de Cauda Longa”:
“ara = arara” e “guaia = cauda longa”.

O Vale do Araguaia – onde se situa o rio – apresenta um clima tropical úmido, variando de três a seis meses de seca e com temperaturas médias de 21 a 26ºC. Nos anos de grande cheia, o rio Araguaia invade o Cerrado e a Floresta Amazônica, estendendo sua largura até 60 km, abastecendo em suas duas margens, milhares de lagos, verdadeiros viveiros naturais das mais diversas espécies de peixes.
O rio Araguaia não ficou imune à sanha de aventureiros. Nas últimas décadas sofreu um acelerado processo de deterioração ambiental, notado pela redução da fauna e flora local, pela deposição de lixo nas praias e cidades, pelo acentuado processo de erosão, que provocaram o assoreamento de vários trechos do rio.

Felizmente, essa depredação está sendo contida. Programas de preservação ambiental desenvolvidos pela Agência Ambiental de Goiás, em parceria com órgãos do Governo Federal e iniciativa privada, têm alcançado resultados positivos.

Hoje, podemos afirmar que no rio Araguaia existem mais peixes do que há dez anos atrás.



Navegação no Rio Araguaia

Principal afluente do Tocantins, o rio Araguaia nasce na serra do Caiapó, na divisa entre Goiás e Mato Grosso, numa altitude aproximada de 850m. Corre quase paralelamente ao Tocantins e nele desemboca, após percorrer cerca de 2.115Km, na cota de 84m.
Os 450Km compreendidos pelo Alto Araguaia apresentam um desnível de 570m. O médio Araguaia sofre um desnível de 185m nos seus 1.505km de extensão. O baixo Araguaia, nos seus últimos 160Km, até o foz, tem um desnível de 11m.
A ilha do Bananal é um acidente importante no rio. Está situada, aproximadamente entre os Km 760 e 1156 e compreendida entre os dois braços do Araguaia, possuindo uma área de cerca de 20.000 Km2. O braço menor é chamado de rio Javaés.

Atrações do Parque Nacional do Araguaia

No Parque é possível percorrer estradas e caminhos existentes próximos à sede, fazer excursões terrestres e fluviais na porção oeste da unidade, acompanhados por funcionários, com o intuito de observar e fotografar diferentes ambientes e paisagens, vários grupos de animais vistos facilmente em abundância e espécies raras da flora. Nas proximidades do parque Indígena do Araguaia há excelente ponto de observação astronômica: pôr-do-sol e praias fluviais no período de seca.Em São Miguel do Araguaia é possível alugar um barco para conhecer de perto a rica fauna e o ambiente deslumbrante em toda a extensão do parque. O parque é um excelente local para observação da rica fauna brasileira. Oportunidades de visualização de mamíferos ameaçados de extinção como o tamanduá-bandeira, o cervo-do-pantanal, a ariranha e os botos que fazem um rebuliço nas águas do Araguaia, aves como a ema e a arara azul e ouvir o folclórico canto do uirapuru, só entre as aves são mais de 660 espécies. Entre os répteis é possível ver a tartaruga-da-amazônia, sucuris, jibóias e o jacaré-açu.Visita as Tribos Indígenas - Devem ser autorizadas com antecedência pela Funai, em Gurupi ou em São Félix do Araguaia . Os índios Carajás, da aldeia Santa Isabel apresentam danças típicas aos turistas. As Praias do Araguaia - Areia e sol. Falta só a água para formar uma praia. O Parque Nacional do Araguaia tem tudo isso, mas há uma diferença: a água não é salgada. As praias formadas pelos rios que cortam o parque, em Tocantins, são de água doce, mas não ficam devendo em nada para o litoral brasileiro. Na verdade, trazem algumas vantagens e desvantagens. Fica a critério do turista decidir se vale a pena conhecê-las, apesar da dificuldade de acesso. As vantagens são a limpeza e o visual. Se em uma praia do litoral brasileiro você encontra muitas pessoas, muito lixo - às vezes espalhado e sem tratamento - e um horizonte belo e interminável,nas praias do Araguaia é possível mergulhar na água doce,pegar uma cor na areia e observar a vegetação tipicamente amazônica, de um lado, e os contornos do cerrado, de outro. Por obra da natureza, o parque fica numa área de transição entre a floresta amazônica e o cerrado do Centro-Oeste, o que proporciona visuais interessantes. Essa diferença morfológica foi um dos fatores que fez com que o Estado, ao ser criado - na Constituição de 1988 -, fosse integrado à região Norte do país, apesar de ter se separado de Goiás. No entanto, falta estrutura de turismo ao parque, o que há de sobra na costa brasileira.

Entre os esportes que mais se adequam a este ambiente está a cnoagem, percorrer os meandros do Araguaia e do Javaés de canoa pode ser uma ótima oportunidade de ver um espetáculo a parte: o pôr-do-sol do Araguaia.

Para os amantes da pesca, a melhor época é entre setembro e abril quando os rios estão mais cheios por causa das chuvas . Entre outubro e fevereiro a pesca é proibida devido ao período de reprodução dos peixes, conhecido como Piracema. A licença de pesca é obrigatória em toda região do Rio Araguaia, mas é proibida no parque nacional.
Entre os peixes o pirarucu, o pirará, o tucunaré, o pintado e as piranhas.

O momento de descontração da pescaria no Médio Rio Araguaia merece também uma visita à maior ilha de água doce do mundo, a Ilha do Bananal. São várias as opções para se conhecer um ambiente quase único, que mistura o gigantismo da Floresta Amazônica com as belezas áridas do Cerrado.

Dica - Tenha sempre um bom repelente, pois toda a região é rica em mosquitos, inclusive o irritante mosquito-pólvora.

Turismo no Rio Araguaia

O Parque Nacional do Araguaia criado em 1956 está localizado no sudoeste do estado do Tocantins, abrangendo parte dos municípios de Pium e Lagoa da Confusão no médio Araguaia, no extremo norte da Ilha do Bananal. Esta ilha, que em tamanho se equivale ao estado de Sergipe, é a maior ilha fluvial do mundo . Sua unidade de conservação divide a ilha com reservas indígenas, entre as quais, a dos índios Carajás.A principal característica deste Parque é sua ampla rede de drenagem, formada por vários rios de grande e médio porte. Alguns rios formam belas praias, de areias claras e praticamente desprovidas de vegetação. Durante a época das chuvas/cheias, a área fica toda recoberta pelas águas, com exceção da parte conhecida como Torrão, onde se situa a sede do Parque. A vegetação dos 562 mil hectares é bem diversificada, predominando os campos de várzeas inundáveis, com cerrados e florestas ao longo dos rios, onde são encontradas palmeiras típicas como maçarandubas, canjeranas e piaçavas e espécies como a onça-pintada, a arara-azul, o gavião real e a águia pescadora. A fauna é rica e diversificada, apresentando elementos que habitam o cerrado e a região amazônica. As espécies mais comuns são a onça-pintada, a arara-azul, o gavião real e a águia pescadora. Durante as enchentes periódicas ocorre a concentração da fauna terrestre nas partes altas, buscando proteção.No verão, a Lagoa Sorrocan, que é o palco de jacarés, fica mais bonita, recebendo maior número de répteis que aproveitam para pegar um solzinho nas suas margens. O Campo das Caraibeiras é caracterizado por campos com grama rasteira e as árvores caraíbas que medem até 15 metros e florescem em amarelo, transformando a área num grande jardim.A região apresenta clima quente, semi-úmido, com temperatura média anual variando entre 8 e 42 graus. Os meses mais quentes são setembro e outubro, e os mais frios junho e julho. Possui uma precipitação anual de 1.750 mm. O período de chuva vai de novembro a março.Embalado pela criação do Parque Yellowstone, o primeiro dos EUA, Juscelino Kubtschek decidiu criar o primeiro parque brasileiro e escolheu a Ilha do Bananal - o presidente dos "Anos Dourados" construiu ainda um super-hotel na ilha, hoje só ruínas. O parque, além de ser o primeiro a ser criado no Brasil, é também o que enfrenta os maiores problemas pela falta de definição das divisas com o parque indígena - os índios alugam pastos para fazendeiros em área que faz parte do parque nacional, prejudicando a conservação das matas nativas, afugentando espécimes da fauna e trazendo o risco das queimadas.Localização e acessos ao parque :Brasília = BR-153 (Belém/Brasília) até a cidade de Nova Rosalandia. TO-255 até Cristalândia (aprox. 30 Km), percorrendo-se a partir daí cerca de 113 Km até as margens do rio Javaés, já nos limites do parque. Palmas = TO-080 em direcão a Paraíso do Tocantins BR-153 em direcão a Nova Rosalandia. TO-255 até Cristalândia (aprox. 30 Km), percorrendo-se a partir daí cerca de 113 Km até as margens do rio Javaés, já nos limites do parque. Distâncias = Palmas: 275 km , Lagoa da Confusão: 60 km.

principais cidades por onde o rio passa





Barra do Garças-MT
Aragarças-GO
Aruanã (Goiás)-GO
Luciara-MT
Santa Terezinha (Mato Grosso)Caseara-TO
Araguacema-TO
Conceição do Araguaia-PA
Couto de Magalhães-TO
Araguanã (Tocantins)-TO
São Geraldo do Araguaia-PA
Xambioá-TO
Araguatins-TO
São João do Araguaia-PA

    Nascente

    O Rio nasce no Sudoeste de Goiás, que tem grande exploração da agricultura. Com o solo desprotegido em grande parte do ano, as águas correm para o rio levando agrotóxico e o próprio solo. Assim observa-se a importância de uma agricultura sustentável e não apenas monocultura sem respeito às leis de meio ambiente. Em muitos lugares as matas ciliares também foram retiradas pelos próprios fazendeiros. O rio sofre com assoreamentos e pode ter o seu curso mudado ao longo dos anos.

    Acampamentos

    O maior número de acampamentos no trecho que o rio passa pelo Estado de Goiás são montados no município de Aruanã. Há desde acampamentos montados por pequenas famílias a acampamentos comerciais frequentados por milhares de pessoas durante a temporada de praia principalmente no mês de julho.Para acampar os órgãos de meio ambiente exigem dos acampados o cumprimento das normas de convivência com o Rio Araguaia. Algumas delas: não utilizar madeira nativa da região, não caçar, não pescar sem licença dos órgãos ambientais, não soltar fogos, construir o banheiro afastado da margem do rio pelo menos 30 metros e não utilizar latas no interior e levar todo o lixo produzido no acampamento para as cidades. Há vários anos órgãos ambientais, como a Agência Ambiental de Goíás e ONGs realizam no trecho do rio Araguaia em Goiás trabalho de Educação Ambiental principalmente durante a temporada de praia buscando sensibilizar e conscientizar os milhares de turistas que frequentam o rio.

    localização geográfica

    Este rio faz a divisa natural entre os Estados de Mato Grosso e Goiás, Tocantins,Maranhão e Pará. Possui uma extensão de 2.114 km e é considerado um dos mais piscosos do mundo. Porém vem sofrendo nos últimos anos com a pesca predatória que tem diminuido o número de peixes, sendo outro factor para a diminuição de peixes nesse rio foi a construção da hidreletrica de Tucurui, sendo que a mesmo não possui recursos necessários para a subida natural de peixes em período de desova.